Detetive particular em São Luís

A história da primeira detetive mulher no mundo, no Brasil e no Maranhão

Por Detetive Socorro Amaral

29 set, 2020

Se você olhar bem para a foto, à direita, verá uma mulher detetive, ainda que disfarçada de homem. Ela está de pé, com a mão na pilastra.

Detetive é uma palavra de origem inglesa, que significa detectar um fato, investigar, pilhar, desmascarar. Profissionalmente falando é detetive aquele que investiga um fato, suas circunstâncias e pessoas nele envolvidas.

Em todos os países do mundo, o Detetive Particular só pode exercer a profissão em consonância com as leis vigente, isto é, respeitando a vida privada do cidadão, inviolabilidade dos direitos humanos, no que tange a vida em particular.

Kate Warne foi a primeira detetive do sexo feminino de que se tem notícia. Ela foi contratada em 1856 pelos Pinkerton para resolver um caso e foi tão bem que fez carreira. Inclusive, foi chefe da divisão feminina da agência dos Pinkerton. Ela trabalhou em centenas de casos e dizem que era ótima quando precisava se disfarçar. Infelizmente, adoeceu misteriosamente aos 35 anos e nunca mais se recuperou. Quando ela morreu, Allan Pinkerton até entrou em depressão.

Se você olhar bem para a foto, à direita, verá uma mulher detetive, ainda que disfarçada de homem. Ela está de pé, com a mão na pilastra.

Maria Angeles Bekeredjian

A 1ª Detetive Mulher no Brasil

Maria Angeles Bekeredjian, espanhola que chegou a São Paulo nos anos 1950, morreu aos 71 anos, após sofrer falência múltipla dos órgãos.

Ângela comandava um escritório com 16 funcionários. Ela não ia a campo porque já era muito conhecida, mas usou muito disfarce de gari, faxineira e chegou até a montar barraca de churrasquinho para observar um comerciante.

Formada em Psicologia, foi uma das primeiras detetives do país. Começou aos 21 anos investigando o então marido, na década de 1960 (descobriu que era traída, mas voltou depois com ele).

Extrovertida e desbocada, a loira de 1,50 m e olhos azuis era figura constante na TV, como no “SuperPop” (Rede TV!). ” Ângela era discreta também fora do trabalho: não comentava casos. Alguns, contudo, tornaram-se emblemáticos, como o flagrante do marido que ia ao motel com uma boneca inflável. Ângela tinha outros dons: era exímia cozinheira, tocava bandolim e gostava de dançar e de pintar quadros abstratos.

Fonte: Wikipedia

Com detetive Ângela (SP)

A 1ª Detetive mulher mais reconhecida no Maranhão

Na década de 80 existiram detetives mulheres no Maranhão, entre elas podemos citar Cassandra, Rosa, Raimunda, Iris, Aurinea. Porém, todas trabalhavam auxiliando detetives e nunca como carreira solo.

A primeira e maior detetive particular mulher conhecida nacionalmente no Maranhão, surgiu em 1998, que é a Detetive Socorro Amaral.

Na década de 80 existiram detetives mulheres no Maranhão, entre elas podemos citar Cassandra, Rosa, Raimunda, Iris, Aurinea. Porém, todas trabalhavam auxiliando detetives e nunca como carreira solo.

A primeira e maior detetive particular mulher conhecida nacionalmente no Maranhão, surgiu em 1998, que é a Detetive Socorro Amaral.

Fez seu primeiro curso com o falecido Detetive Amaro Lucas de Miranda, homem conhecido e respeitado no estado, proprietário da escola de Detetives Instituto Novo Dia.

Seu curso foi feito em 4 meses e para que recebesse seu certificado, teve que ainda estagiar com os veteranos por mais 3 meses, e a única mulher no meio de tantos homens.

Começou a se interessar pela profissão, quando ainda criança por buscar uma traição de seu pai. Desde então pegou o gosto, pois, percebeu que levava jeito e resolveu seguir carreira.

Membro da CNPR (Comissão Nacional Pró Regulamentação no Brasil), uniu-se a outros detetives do Brasil, e juntos buscavam a Regulamentação da Profissão. Sempre em visita a Brasília em busca de apoio de políticos em busca da tão sonhada REGULAMENTAÇÃO, sonho de todos os detetives do Brasil.

Tal luta teve início em 2011 e foi uma verdadeira peregrinação de grandes detetives do Brasil como: Rick Vargas – RS, Itacir Flores – RS, Raul Ábacos – RS, Fabiana Michel – RS, Robson Jorge – SP, Audecio Freitas – SP, Socorro Amaral – MA, Will Verum – SP, Arnold – DF, Sergio Barros – DF, Cloves Aquino – PE e outros.

Em fevereiro de 2017, a CNPRD (Comissão Nacional Pró Regulamentação de Detetive) encaminhou oficio ao Presidente do Senado Federal, Eunicio Oliveira, a fim de pleitear a agilização da votação do PL 106/2014. No mês seguinte, o Presidente Eunicio Oliveira recebeu o Ministro Ronaldo Nogueira (que sempre apoiou os detetives desde o início da luta quando Deputado Federal) e os representantes da CNPRD, comprometendo-se a colocar em pauta o PL 106/2014 o que aconteceu em 15 de março de 2017.

A agenda foi cumprida e o PL 106/2014, aprovado pelo Senado Federal e encaminhado à Presidência da República para sanção.

Transformado na Lei 13.432, de 11 de abril de 2017, que ficou conhecida como Lei do Detetive Particular.

Lei que RECONHECE a profissão de Detetive Particular no Brasil.

A Detetive Socorro Amaral participou da organização dos Congressos dos Detetives no Brasil, onde teve destaque ao palestrar ao lado do então Ministro Ronaldo Nogueira, falando da Importância da Detetive Mulher na Investigação Particular no Brasil. Também foi precursora na criação do primeiro grupo de WhatsApp de detetives mulheres do Brasil e do site com mesmo nome e membros.

Única mulher a fazer parte do GT (Grupo Técnico), grupo formado para criação do Estatuto, Regimento Interno e Código de Ética que posteriormente seriam usados pela ODB – Ordem dos Detetives do Brasil, onde a Detetive Socorro Amaral é membro fundador e atualmente exerce na ODB o cargo de Secretaria Nacional, eleita por profissionais de todos Brasil, membros da ODB.

Conheça um pouco do Currículo da Detetive Socorro Amaral.

Cursos

▸ Formada em Gestão de Segurança – Investigação Forense e Perícia Criminal – Estácio;
▸ Direito – Uniceuma – Incompleto;
▸ Relações interpessoais;
▸ Detetive Profissional – 1998 – ABIN Academia Brasileira de Investigação Ltda;
▸ Detetive Profissional – 2000 – Instituto Novo Dia;
▸ Detetive Particular – 2002 – Central Única Federal dos Detetives;
▸ Detetive Criminal – 2005 – 400 horas ISAIP Instituto Sul Americano de Investigações Privadas;
▸ Curso Técnico em Rastreamento e Varredura de grampos telefônicos – 2005 – Evodio Eloisio de Souza;
▸ Técnico em Investigações – 800 horas – ISAIP – Não concluído ainda;
▸ Ciências Forenses – 2013 – 30 horas – UnInter – Universidade Internacional Três Fronteiras – PY;
▸ Psicologia Criminal – 100 horas – ABIN – 2015;
▸ Investigação Virtual – Rastreamento de e-mails;
▸ Inteligência Empresarial;
▸ Curso de Fisiognomonia Criminal: Módulo I;
▸ Seminário da Perícia Oficial do Maranhão – 16h;
▸ Curso de Psicopatologia Forense;
▸ Psicopatologia e Vitimologia;
▸ Curso Patologias – Psicopatias Forenses;
▸ Autopsia Psicologia;
▸ Criminal Profiling e Psicologia da personalidade Criminal;
▸ Entendimento da Preservação do Local do Crime;
▸ Ciclo de Palestras – Evidencias do Crime;
▸ Psicologia Jurídica – Violência e adolescentes em conflito com a Lei.

Experiências profissionais

▸ CONFIPAR – MA – Conselho Federativo dos Investigadores Particulares – 2003 – Diretora de Comunicação Social;
▸ CEIP – MA – Conselho Estadual dos Investigadores Profissionais do MA – 2004 – Diretora de Comunicação Social nos 3 mandatos;
CDB – Conselho dos Detetives do Brasil – Detetive Criminal desde 2005;
▸ Acadêmica do Curso de Investigação Fornece e Perícia Criminal;
▸ Participação Internacional em Lançamento de Mestrado em Ciências Penais em Asunción no Paraguai;
▸ Fundadora da ODB – Ordem dos Detetives do Brasil, hoje exercendo o cargo de Secretaria Nacional;
▸ Faço parte da Organização dos Congressos Nacionais dos Detetives do Brasil;
▸ Palestrante da Organização dos Congressos Nacionais dos Detetives do Brasil falando sobre a Detetive Mulher no Brasil – 2018;
▸ Fui citada no livro “Seja você um detetive” do grande Luiz Amaral.

Certificados

▸ Relações interpessoais;
▸ Detetive Profissional – 1998 – ABIN – Academia Brasileira de Investigação Ltda;
▸ Detetive Profissional – 2000 – Instituto Novo Dia;
▸ Detetive Particular – 2002 – Central Única Federal dos Detetives;
▸ Detetive Criminal – 2005 – 400 horas – ISAIP – Instituto Sul Americano de Investigações Privadas;
▸ Curso Técnico em Rastreamento e Varredura de grampos telefônicos – 2005 – Evodio Eloisio de Souza;
▸ Técnico em Investigações – 800 horas – ISAIP – Não concluído ainda;
▸ Ciências Forenses – 2013 – 30horas – UnInter – Universidade Internacional Três Fronteiras – PY;
▸ Psicologia Criminal – 100horas – ABIN – 2015;
▸ Investigação Virtual – Rastreamento de e-mails;
▸ Inteligência Empresarial;
▸ CONFIPAR – MA – Conselho Federativo dos Investigadores Particulares – 2003 – Diretora de Comunicação Social;
▸ CEIP – MA Conselho Estadual dos Investigadores Profissionais do MA – 2004 – Diretora de Comunicação Social nos 3 mandatos;
CDB – Conselho dos Detetives do Brasil – Detetive Criminal desde 2005;
▸ PGI – Emasculados;
▸ I Seminário Maranhense de Peritos do Maranhão.

Postagens relacionadas

0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *