Traição conjugal/adultério

Traição conjugal/adultério

Traição e infidelidade: o que pode acontecer na mente da pessoa traída? E o que passar na mente de quem traiu?

A traição machuca, doe, decepciona, maltrata. Descobrir que o parceiro ou a parceira é infiel é um doloroso, dos momentos mais terríveis da vida de alguém. As emoções que surgem após a descoberta da infidelidade podem causar estragos no emocional, sentimento de rejeição, complexo de inferioridade, a pessoa se sente a última das últimas em se perguntar onde errou.

Essas são situações corriqueiras que vimos diariamente, pessoas rancorosas, se sentindo mal-amada, tanto na vida real ou em meios de entretenimento, encontramos casais feridos por uma traição e, com isso, algumas ideias “únicas” sobre o amor.

Algumas pessoas costumam dizer e acreditar que que homens traem bem mais que as mulheres, sim de fato. Mas, na verdade, a traição do homem não chega a 50% segura e da mulher chega a 98%. A mulher hoje em dia vem traindo tanto quanto os homens em percentual um pouquinho menor.

A mente de quem é traído

A pessoa traída pode reagir a uma traição de diversas maneiras. Depende muito da forma de enxergar a situação, do sentimento nutrido pelo parceiro e do estado do relacionamento. No entanto, mesmo que este esteja péssimo, saber que foi traído nunca é fácil.

A traição é uma quebra de confiança e ausência de respeito com o próximo. Afinal, existem outras formas de melhorar o relacionamento e/ou de terminá-lo sem causar tamanho sofrimento emocional ao próximo. Então, por que machucá-lo dessa forma?

Quando se descobre uma traição, o traído passa por um período de luto. Como algo muito importante é perdido, e gera guerra interna, crise existencial, e o pesar é semelhante ao de quando alguém amado morre. As emoções são tão intensas que podem causar um trauma emocional irreversível. E que que para quem traiu, chamar de frescura.

A pessoa traída pode não vir mais acreditar no amor, ter dificuldade de se relacionar, perder o sentido do casamento, sofrer mudanças radicais. São sonhos, planos para o futuro e expectativas também são danificadas bruscamente.

REAÇÕES TÍPICAS À INFIDELIDADE

O processo de superação e de cura da traição, não é tao fácil quanto se imagina, tende a ser longo para a maioria das pessoas. Dependendo das reações de cada pessoa traída. Para algumas pessoas pode ser menos dolorido e demorado. Porém, dificilmente é feito sem, pelo menos, um pouco de dor emocional.

Como pode reagir uma pessoa traída?

Raiva

A pessoa pode ser dominada por uma fúria cega, reagindo à descoberta até mesmo com violência. Brigas físicas e verbais são esperadas quando essa raiva predomina. Dependendo da situação, a agressividade pode causar até mesmo uma tragédia.

É normal essa raiva tomar conta de seu sentimento, precisando ser controlada para que ambos não sejam prejudicados. Mesmo que quem traiu esteja coberto de erros, deve-se saber o motivo que o levou e que esse pode vir a se arrender e não mais fazer.

Desconfiança

Existem as traições que a pessoa traída acaba descobrindo por acaso, ou por meio de outras fontes, como amigos ou vizinhos, costumam reagir com incredulidade. Em sua grande maioria chega a pensar que a infidelidade não aconteceu e que não passa de fofoca. Às vezes até comenta com o (a) parceiro (a) como forma de não tentar aceitar, ou melhor, acreditar.

Será mesmo que a infidelidade aconteceu? Como saber se fulano (a) não mentiu? A descrença também pode surgir quando a pessoa que traiu revela o que fez abertamente.

Em alguns casos, mesmo quando há provas, como fotos e vídeos, o traído não quer aceitar a realidade. Afinal, ela causa dor. A imagem construída do parceiro é abalada ou totalmente destruída, refletindo na confiança da pessoa traída. Ela pode questionar as suas decisões, perguntando-se como não viu algo tão óbvio ou como escolheu ficar com alguém capaz de magoá-lo dessa forma.

Tristeza

A infidelidade no relacionamento é triste. Ela é sentida, e, quando o traído reconhece as suas perdas: o parceiro que tanto amava, a relação a que se dedicou a vida toda e sonhou com futuro com planos. A tristeza faz com que reflita sobre os momentos bons e se pergunte se conseguirá perdoar o outro, o que pode inclusive gerar uma depressão profunda.

Culpa

Quando você é alvo de uma traição, corre um sério risco de ainda ouvir da pessoa que traiu, que usando forma de defesa e justificativa pela traição, que a culpa é ou foi sua.

E a pessoa traída pode de fato se culpar e por achar que fez algo para que afastasse a pessoa ao ponto de levar a trair. Começa a pensar se não fez algo para afastar o parceiro e se não criou expectativas altas demais para o relacionamento, causando a situação desagradável.

A mente de quem trai

Por que as pessoas traem? Não é mais fácil terminar um relacionamento ou casamento ruim do que ser infiel e causar um sofrimento imensurável para o parceiro?

São várias as razões que motivam as pessoas a serem infiéis. Em uma grande maioria dos homens que traem, buscam aventura, buscam uma outra mulher como forma de complementação para o seu casamento, como se o fato de ter uma amante fosse o combustível para sustentar o seu casamento.

Existem parceiros que traem pela índole, por não conseguirem ficar sem trair e precisam se libertar desse grande mal que assombra as famílias. Apesar de termos o desejo de ver quem trai com maus olhos, como uma pessoa de mau caráter é preciso lembrar que todos nós somos passíveis de cometer erros. Nem sempre a pessoa que trai quer arruinar a vida do parceiro ou fazê-lo sofrer.

Não podemos deixar de falar, que uma traição, gerando uma separação, sofre toda uma família, e não só a pessoa traída, mais os filhos sofrem com traumas, inseguranças, problemas psicológicos etc.

Não é regra, mas alguns motivos que podem levar alguém trair.

Índole, Indiferença do parceiro, solidão, falta de atenção, vingança por algo que o parceiro tenha feito, busca por atenção, sentir-se menosprezado pelo parceiro e etc.

Por que os homens traem?

A ciência explica que os homens traem mais que as mulheres por que possuem maior capacidade de separar o sexo do amor e, assim, concretizar a traição ou traições. Além disso, não se preocupam muito com as consequências porque acham eles nunca serão descobertos.

Geralmente, quando o homem trai ele busca prazer ou atenção em outra parceira.

Por que as mulheres traem?

As mulheres normalmente quando traem, estabelecem um vinculo afetivo

A detetive Socorro Amaral, sempre costuma dizer que a mulher quando trai, ou é índole, ou vai buscar o que não tem em casa, e esse índice vem aumentando assustadoramente.

No entanto, as mulheres mais jovens costumam trair para satisfazer suas necessidades emocionais e sexuais, da mesma forma que os homens fazem.

Quando a traição ocorre uma vez e é perdoada, o parceiro trai de novo?

Cada caso é um caso.

A pessoa que trai pode tê-lo feito em um momento de espontaneidade, sem considerar as consequências, motivada pela excitação e o fator “proibido” da traição. Assim que é revelada, seja por outras pessoas ou por quem traiu, ela pode se sentir culpada e nunca mais repetir esse comportamento.

Da mesma forma, pode trair novamente, confiante por ter sido facilmente perdoada. A incapacidade de terminar o relacionamento ruim, seja por medo ou vergonha, também pode motivar outra traição.

Quando o homem trai e é perdoado, ele tem em mente a certeza de que o amor que a mulher sente por ele é tamanho que foi capaz de perdoar uma traição e assim perdoar outras.

Em nossa sociedade, o pensamento que o “homem pode trair quando quiser” ainda circula entre alguns indivíduos, famílias e comunidades.

Perdoar, não é o mesmo que conceder permissão ao parceiro para trair ou aceitá-lo de volta em sua vida. O perdão beneficia quem foi traído porque promove a libertação de emoções e de sentimentos desagradáveis, os quais fortalecem o apego da pessoa à situação dolorosa.

Além disso, quem perdoa o parceiro infiel tem todo o direito ficar mais atento, de cobrar ciúmes, de expressar as suas preocupações e fazer mudanças (sensatas) na dinâmica do relacionamento até que a ferida seja curada.

Apenas não é legal aceitar o parceiro de volta e torturá-lo emocionalmente, fazendo-o sofrer por ter escolhido trair. É preciso ser honesto tanto consigo mesmo quanto com o outro ao perdoar. A vingança pode soar atraente na hora, mas não é o caminho certo para reconstruir a confiança perdida.

Precisa-se muito de maturidade para administrar tudo isso e não acabar um casamento.

Casal pode fazer terapia, viagens, fazerem mais as coisas juntos, administrar de uma forma com muita forca de vontade, amor próprio e ao próximo.

STF diz que contratar detetive para vigiar ex-cônjuge não é crime

STF diz que contratar detetive para vigiar ex-cônjuge não é crime

Contratação de detetive particular para vigiar ex-cônjuge não é crime, diz STJ. A simples contratação de um detetive — profissão regulamentada em lei — para vigiar ex-cônjuge não é motivo suficiente para caracterizar contravenção penal, ou mesmo crime.

A simples contratação de um detetive — profissão regulamentada em lei — para vigiar ex-cônjuge não é motivo suficiente para caracterizar contravenção penal, ou mesmo crime. Assim entendeu a 5ª Turma do Superior Tribunal de Justiça, que trancou uma ação penal em que se apurava se o denunciado cometeu contravenção por perturbação da tranquilidade ao pagar um profissional para monitorar sua ex-companheira.

O ministro Ribeiro Dantas, relator do recurso em Habeas Corpus, argumentou que, não existindo diferença expressiva entre crime e contravenção penal, não há razão para dispensar o dolo ou a culpa para fins de demonstração da contravenção. Ele também argumentou que, conforme o artigo 65 da Lei das Contravenções Penais, para que esteja configurada a perturbação sujeita a sanção é necessária a demonstração do dolo e do elemento subjetivo específico consistente em perturbar acintosamente ou de maneira censurável.

No acaso em análise, segundo Ribeiro Dantas, o denunciado mandou contratar um detetive para vigiar a vítima, mas a denúncia não apresentou elementos que demonstrem a sua intenção de, com essa conduta, molestar ou perturbar a ex-companheira.

“Assim, não descrevendo claramente a denúncia que o agente, por acinte ou motivo reprovável, contratou detetive particular para ‘ostensivamente’ vigiar e, assim, molestar alguém ou perturbar-lhe a tranquilidade, não se tem configurada a contravenção penal do artigo 65 do Decreto-Lei 3.688/1941.” Com informações da assessoria de imprensa do STJ.

Dessa maneira, o relator entendeu que o ato de monitorar alguém não pode ser considerado ilícito, mesmo porque a atividade de detetive particular é regulamentada pela Lei 13.432/2017. Fonte: JuriNews

“A profissão de detetive particular, segundo a Detetive Socorro Amaral, NÃO é regulamentada pela Lei 13.432/2017”.

A profissão passou a ser reconhecida por lei e não regulamentada.

Veja o que diz a Lei 13.432/17: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2015-2018/2017/lei/l13432.htm

 

Adultério e danos morais

Adultério e danos morais

Qual é o crime de traição?

A forma que cada um passa a enxergar uma situação depende muito do sentimento nutrido pelo parceiro e do relacionamento. Portanto, mesmo que o relacionamento esteja péssimo, saber que foi traído nunca é fácil. A traição é a quebra de confiança e ausência de respeito com o próximo.

O adultério é quando um dos cônjuges ou companheiros trai o (a) seu (a) parceiro (a), quebrando a relação de confiança estabelecida anteriormente, seja em decorrência de casamento ou de união estável. A prática do adultério há uns anos atrás, já foi previsto no código penal brasileiro, hoje revogado.

O adultério continua sendo motivo de separação para os que assim desejam, mas deixou de ser crime.

Quem trai deve indenizar?

Boa parte da doutrina e da jurisprudência, considera que a pessoa traída possui o direito de pleitear indenização por danos morais, baseados na aplicação do Artigo 1.566 do Código Civil, o qual diz e considera a fidelidade conjugal como um dos deveres de ambos os cônjuges.

DO CASAMENTO

Art. 1.566. São deveres de ambos os cônjuges:

I – Fidelidade recíproca;

II – Vida em comum, no domicílio conjugal;

III – Mútua assistência;

IV – Sustento, guarda e educação dos filhos;

V – Respeito e consideração mútuos.

Se o casal vier se separar e o motivo da separação for por conta de um adultério, há uma vertente de juristas que defende que a pessoa traída tem direito a pleitear indenização por danos morais.

Alguns pensam que, a traição não precisa ser pública para que a ação de danos morais seja movida. Contudo, a vítima precisa comprovar que a traição sofrida gerou sofrimentos e abalos emocionais que vieram atrapalhar em sua vida cotidiana, como no trabalho ou em relações interpessoais.

Uma traição é um acordo quebrado, implícito ou explícito, considerado vital para a integridade e sustento de um relacionamento. No entanto, há muitas maneiras de trair ou de nos sentirmos traídas por nosso parceiro, como falta de confiança, amizades, sociedade e que parece tão ruim quanto um caso extraconjugal.

Assim, a pessoa traída precisará, ter principalmente testemunhas que possam relatar sobre a repercussão social da traição, sobre os abalos emocionais sofridos, psicológicos e abalos profissionais, além da necessidade de provas documentais dos danos sofridos.

“Para haver indenização, é preciso que haja descumprimento de um dever, dano moral e um nexo causal (ligação) entre o descumprimento e o dano”, resume a advogada. “O dano moral não é só a dor ou o sofrimento do cônjuge traído, mas o prejuízo decorrente do fato grave em si mesmo. ”

Assim sendo, como prova da traição, é quando uma pessoa comprometida estar se relacionando afetivamente/sexualmente com outra pessoa. – Conversas WhatsApp, Instagram, e-mail, telegrama, torpedo, ou seja, aplicativos de mensagens.

Um detalhe que deve ser observado, é que o cônjuge que trai, perde o direito a pensão. Se a traição se tornar pública e notória, o cônjuge traído poderá perfeitamente entrar na Justiça para pedir indenização por danos morais. O adultério não afetará a partilha dos bens, que deverá seguir o regime de casamento adotado durante o casamento.

Esposa traída pode conseguir direito de receber indenização na Justiça?

Para o advogado e presidente do Instituto Brasileiro de Direito de Família (IBDFam), Rodrigo da Cunha Pereira, não cabe mais indenização em caso de traição. … “O dever de um é o direito do outro. No casamento e na união estável existem deveres que uma vez descumpridos geram danos”. (fonte Google)

Já o juiz baiano Pablo Stolze Gagliano comentou sobre diversos casos que cercam o Direito Civil

“Uma esposa traída pode obter na Justiça o direito de receber indenização por danos morais do marido, de acordo com o juiz baiano Pablo Stolze Gagliano, especialista em Direito Civil. A informação foi dada durante o programa Jornal da Cidade – II edição, na Rádio Metrópole, apresentado por José Eduardo, na noite desta quinta-feira (6).

“Dentro de um casamento, quando o homem trai, e a esposa descobre. Ela pode pedir o divórcio, mas pode processar por violação ao direito da personalidade dela. Ela pode pedir indenização por dano moral e vice-versa. Quem pula a cerca pode ser processado”, disse o juiz do Tribunal de Justiça da Bahia (TJ-BA). “ (fonte google)

Resumindo: A mera alegação de adultério, em regra, não obriga danos morais. É necessário de “algo a mais”. E esse algo deve ser muito bem provado nos autos.

Então, caso você tenha sofrido um adultério, colha, busque o máximo de provas possíveis para demonstrar que o fato ocorreu e que dele surgiram diversas consequências que abalaram o seu ser: Violência física, verbal, situação de humilhação perante a coletividade, entre outros. A prova pode ser tanto documental quanto testemunhal, ou até mesmo de outra forma que seja hábil a comprovar os danos sofridos.

O prazo começa a contar a partir do divórcio e não a partir do momento que descobriu a traição. Logo, é perfeitamente possível que ela ingresse com ação de danos morais contra seu ex-marido, seja na mesma peça do divórcio ou em ação posterior, desde que dentro de 3 anos contados da separação oficial.

Detetive fala da diferença entre traição e adultério

Detetive fala da diferença entre traição e adultério

TRAIÇÃO

Traição significa: Ato de trair alguém; Incapacidade de ser fiel a uma única pessoa ou a seus valores, ou a qualquer outra coisa.

Tanto traição quanto adultério passaram a ser comportamentos comuns ao ser humano, muito embora, socialmente, nem um nem outro seja aceito oficialmente, explica a Detetive Particular Socorro Amaral de São Luís/MA.

Deve-se considerar que só os amigos traem, apesar de que na sua grande maioria os inimigos um dia já podem ter sido amigos, que por alguma razão “compreendemos” que traíram a nossa confiança ou amigos que entenderam que traímos a confiança deles. Trair pode ser as vezes por alguns, definido como agir de modo contrário ao que se espera, gerando expectativa que o amigo tinha em relação às nossas ações.

O que a Bíblia diz sobre a traição?

A bíblia chama a traição no casamento de adultério. O adultério, segundo a Bíblia é relação sexual entre uma pessoa casada e alguém que não seja seu marido ou esposa… Segundo a Lei antiga, conforme está escrito em Levítico 20:10, se um homem cometer adultério, tanto ele quanto a mulher adúltera deveriam ser executados.

A Bíblia diz ainda:

“Quando uma AMANTE entra na vida de um homem, ele perde tudo que tem. Primeiro ele fica preso ao pecado e logo depois perde a família, o dinheiro, a paz, a alegria e principalmente a honra. Não troque a sua família e a sua honra por alguns minutos passageiros de prazer da carne! SER AMANTE É SER FUNCIONÁRIO DO INFERNO!”

Quando falamos a palavra traição não especificamos afinal de que tipo, qual traição. Somos obrigados a explicar com detalhes o ocorrido, pois há traições diversas, como podemos citar:

Judas Escariodes traiu Jesus, Joaquim Silvério dos Reis, que traiu os inconfidentes, Brutos traiu o imperador Cesar, foi apunhalado em plena reunião do Senado…

A traição tem vários sinônimos que podemos ver algumas comparações. VEJA:

Traição
Traição
Traição
Traição
Traição
Traição
Traição
Traição
Traição
Traição
Traição
Traição
Traição
Traição

Emboscada
Armadilha
Lealdade
Trair
Traído
Traiçoeiro
Falsidade
Rasteira
Desconfiança
Nobreza
Seriedade
Adultério
Egoísmo
Mentir

Traição
Traição
Traição
Traição
Traição
Traição
Traição
Traição
Traição
Traição
Traição
Traição
Traição
Traição

Infidelidade
Fingimento
Fraude
Fingimento
Deslealdade
Enganação
Intriga
Calúnia
Desrespeito
Sinceridade
Retidão
Adulterar
Injustiça
Infidelidade Virtual

Podemos citar alguns tipos de traição.

  • Por dinheiro;
  • Roubo;
  • Poder;
  • Falta de honestidade;
  • Ciúmes;
  • Mentira;
  • Decepção;
  • Desrespeito;
  • Egoísmo;
  • Embromação;
  • Injustiça;
  • Arapuca;
  • Armadilha;
  • Não honrar promessas;
  • Perda do desejo/interesse sexual;
  • Adulterar;
  • Não guardar segredo;
  • Agir contra lhe é fiel;
  • Falar mal do amigo;
  • Quebra de compromisso;
  • Infidelidade;
  • Decepção;
  • Falta de ética profissional, etc.

AaFazer sexo fora do relacionamento, casamento, você não só comete a traição como o adultério. Além de trair, você compromete a confiança, desrespeito, decepção, injustiça para com seu parceiro(a).

Podemos perdoar uma traição?

Sim, porque não? Sabemos que não é uma tarefa nada fácil!

A dor de uma traição é maior do que possamos imaginas. Não é uma das coisas mais fáceis de fazer. Rever todos os conceitos e avaliar esse processo que exige muita paciência, sabedoria, paciência.

Avalie também se avalie se a traição partiu da índole de quem traiu ou se você teve parcela de culpa.

Pedro aproximou-se de Jesus e perguntou: _ Senhor, até quantas vezes pecará meu irmão contra mim, e eu lhe perdoarei? Jesus lhe disse: Não te digo que até sete; mas, até setenta vezes sete. ‘” Mateus 18:21-22. “Porque, se perdoardes aos homens as suas ofensas, também vosso Pai celestial vos perdoará a vós; se, porém, não perdoardes aos homens as suas ofensas, também vosso Pai vos não perdoará as vossas ofensas. ” Mateus 6:14-15.

ADULTÉRIO

O que é Adultério: Relacionamento com pessoa do sexo oposto ou mesmo sexo com intenção ou não de relacionamento amoroso ou somente sexual, onde uma das partes envolvidas já possua um relacionamento compromissado.

O adultério por sua vez, palavra que derivou do Latin ad alterum torum, o que tem como significado “na cama de outro que designava a pratica da infidelidade conjugal”. Vem do verbo adulterar e que hoje entende-se: Falsificar, fraudar, alterar, corromper, etc.

Segundo a palavra de Deus, Biblicamente falando, mesmo que você não tenha contato físico com o sexo oposto fora do casamento, mas só tenha pensado neste relacionamento já adulterou.

Conforme a Detetive Socorro Amaral – São Luís/MA, hipoteticamente, a diferença entre traição e adultério é irrelevante, entretanto, juridicamente, acredita-se que adultério seja o relacionamento extraconjugal em que tenha ocorrido o “ato sexual” ou não, seja, o adultério sem que haja o contato físico entre as partes é mito, e, ainda, o adultério é considerado um “delito” de provas, ou seja, de concurso necessário.

Quando se trata de relacionamentos, é necessário que se tenha primeiro um compromisso firmado entre as partes ou concordado socialmente; e o adultério ocorrer até em pensamentos, por atos, gestos atitudes estranha à relação ou ao contrato que viesse a corromper, alterar, desvirtuar o relacionamento ou compromisso original.

Entendemos como prova de traição em adultério o fato de uma pessoa comprometida estar se relacionando afetivamente/sexualmente, pessoalmente, virtualmente com outra pessoa. As Conversas nos aplicativos de mensagens: pode ser considerada prova de traição, conversas amorosas que ocorreram através do WhatsApp e demais aplicativos de conversa

Assim como se adultera gasolina pela adição de solventes; leite pela adição de agua, adulteramos uma relação, como namoro, noivado ou casamento até mesmo com objetos não convencionais.

Segundo a Bíblia, “já que o adultério (ou adulteração) pode ocorrer a nível de pensamento; individualmente deveríamos ser cautelosos em relação a julgar aqueles que consumaram um ato que na verdade também gostaríamos de ter praticado; mas que não o fizemos por falta de oportunidade ou coragem. ”

A mídia mostra a infidelidade e a traição no casamento como uma aventura atraente, envolvente e apaixonante que tal julgam muito natural, e, de natural não tem nada, mas na verdade o seu fim é angustiante, traumático e amargo! No fim da estrada do adultério estão a vergonha, a desonra e a morte! Como registrado na Bíblia Sagrada, os adúlteros não herdarão o reino de Deus. (1 Coríntios 6:9,10).

Em alguns casos, algumas pessoas quando sabem que alguém praticou um adultério, passam intimamente a desejar o/a “adultero/a”, mesmo que, verbalmente passem o/a condenar.

Por isso disse Jesus: “quem estiver sem pecado atire a primeira pedra”

SINÔNIMOS DO ADULTERIO

Trair Deslealdade Adultero(a) Concupiscência Enganar
Traição Adulteração Infidelidade Pervertido(a) Relação carnal
Traidor(a) Burlaria Contrafação Prevaricar Copilar
Pulada de cerca Prevaricação Fornicação Gaieira etc.

Então, não fique na dúvida, a Detetive Socorro Amaral em São Luís/MA com 22 anos de experiência, busca os casos mais complexos com agilidade e sigilo absoluto.

Adultério tira direito de pensão alimentícia?

Adultério tira direito de pensão alimentícia?

A infidelidade é uma ação que umas das pessoas da relação comete, onde são rompidos um dos principais pilares de uma relação que são: respeito, confiança, lealdade, onde são quebrados acordos que haviam sido estabelecidos entre ambos.

O sétimo Mandamento é “não adulterarás” (Deuteronômio 5:18). A traição no casamento é um pecado muito sério, que destrói famílias e deixa sequelas e traumas. O casamento é uma aliança sagrada onde duas pessoas prometem ser fiéis um ao outro até a morte, perante Deus e os homens. A traição quebra essa aliança e desrespeita o cônjuge, os filhos e Deus. É um ato detestável a Deus.

Adultério acontece quando uma pessoa casada tem relações com alguém que não é seu cônjuge. A Bíblia é muito clara sobre o adultério – é pecado. Quer seja cometido pelo marido, quer pela esposa, o adultério é muito grave.

Quando ocorre um adultério por parte de um dos cônjuges, a pessoa que comete adultério não perde o direito aos filhos. Provada a traição, a mulher ou o marido que traem perdem o direito a receber pensão. Se a traição se tornar pública e notória, o cônjuge traído poderá entrar na Justiça para pedir indenização por danos morais

A infidelidade é comportamento indigno e quem é infiel, mesmo sendo dependente do marido ou da esposa, não tem direito à pensão alimentícia, a infidelidade ofende a auto estima do traído e também a sua reputação social, ou seja, sua honra

Afinal, o que caracteriza traição?

A traição vai muito além de fazer sexo com outra pessoa que não seja seu companheiro (a) durante um relacionamento sério como namoro, noivado e principalmente casamento. Muitas atitudes, atos, gestões, ações incorretas podem ser consideradas traição durante um relacionamento.

Paquerar por mensagens de texto, conversas picantes em redes sociais, trocar fotos íntimas, ter um perfil em sites de relacionamento, beijar, acariciar, fazer sexo, manter conversas com teor romântico/sexual, se encontrar com a pessoa escondido, e outras coisas mais. Pode parecer bobagem, normal, mas dialogar em rede social pode caracterizar uma traição, ou até mesmo uma fatura no cartão de crédito com nome fantasia de motel.

De acordo com pesquisas, estudos e entrevistas em todo mundo, as pessoas que traem seus companheiros (as), possuem diversos motivos, desde os considerados banais como impulsividade, falta de respeito, lealdade, consideração ao próximo,

No momento em que a pessoa desconfia ou descobre que está sendo traída, procuram ajuda e em sua grande maioria de um detetive, dessa forma, a raiva precisa ser controlada e histeria, vingança, agressão e danos materiais são as piores coisas que uma pessoa traída pode fazer.

Em uma vingança, mesmo que de cabeça quente e momentânea, pode gerar processos, como expor fotos e vídeos íntimos da pessoa que trai, partir para a violência, prejudicando sua vida pessoal. Infelizmente isso acontece em alguns casos e algumas dessas ações geram problemas irreparáveis em toda família.

Considerando que até em 2005, o adultério era considerado crime, o adultério, tinha como consequência a perda dos direitos à pensão, à guarda dos filhos e ao uso do nome do cônjuge.

Nos dias atuais, o marido ou mulher que trai, como não é mais crime, a traição não pode ocasionar a perda aos bens e nem à guarda dos filhos. Os Especialistas ressaltam, no entanto, que se ficar provada a conjugação, o adúltero pode perder o direito à pensão alimentícia.

Para que a traição seja provada judicialmente e a pessoa traída possa comprovar que o motivo do rompimento do casamento é por causa da infidelidade e assim, não precisar pagar a pensão alimentícia, é necessário que ela apresente provas concretas: imagens, vídeos, áudios e documentos, por exemplo. A pessoa traída, nem sempre conseguirá essas provas com valor judicial de maneira legal e sigilosa sozinha, até mesmo por conta do emocional e psicológico abalados.

Como provar ao juiz que a pessoa foi traída?

A contratação de um detetive particular é essencial na fase de provar a traição, já que é um profissional especializado em conseguir provas legais de forma sigilosa e que tenham forte valor para uma audiência e para o juiz, por exemplo. O detetive particular geralmente é contratado na fase onde ainda a traição não foi confirmada, porém existem diversos sinais e deslizes que o acusado de traição comete. Dessa forma, a detetive Socorro Amaral, apta, com suas ferramentas de ponta, consegue provas como imagens, documentos e histórico de localizações que confirmando a infidelidade.

Como ficam os danos morais?

Quem foi traído, além de não ser obrigada a pagar a pensão alimentícia, pode processar o cônjuge por danos morais. Mas é expressamente necessário comprovar a traição, assim como apresentar documentos que provam os danos emocionais e psicológicos, por exemplo. A infidelidade por si só já gera inúmeros danos, mas nem sempre esses danos são considerados como danos morais para o juiz durante uma audiência, Exemplificando. Especialistas afirmam que a indenização por danos morais em caso de adultério, geralmente ocorre quando quem sofreu a traição passou por constrangimentos, deboches e comentários maldosos. Assim sendo munida com a devida documentação o traidor pode ter que realmente pagar uma indenização, que terá seu valor definido pelo juiz levando em conta o teor das provas.

Ressaltando que somente um detetive experiente, com anos de experiência e conhecimento e usando ferramentas de acordo com a lei, com tecnologia de ponta e com sigilo absoluto, utilizando de técnicas de sucesso pode fazer uma investigação. Não recomendamos que a pessoa que está no relacionamento faça uma investigação em causa própria, pois, além de não ser profissional os grandes laços emocionais envolvidos e poderá deixar em risco a busca e colocar tudo a perder.

A SA Investigações, detetive Socorro Amaral está no mercado há mais de 22 anos atendendo e solucionando casos no Maranhão com experiência sólida em investigação particular. Profissionais qualificados e devidamente filiados a ODB – Ordem dos Detetive do Brasil.