Casos de Família – Cuidador de Idoso

Casos de Família – Cuidador de Idoso

Existem coisas que não podem passar batido para avalição de um bom cuidador de idoso.

Faz tempo que as pessoas ao chegarem aos 50 anos não adoecem com facilidade. As pessoas com anos ou mais, hoje em dia são atletas, se cuidam com mais amor próprio, e o avanço da medicina, qualidade de vida, tudo muda, o aumento na perspectiva de vida aumentos consideravelmente.

Para aqueles que precisam de um cuidado mais de perto, a contratação de um cuidador se tornou ainda mais comum. Então, saiba que antes de contratar, você busca alguém que vai cuidar de um familiar seu e que esse familiar merece muito cuidado, amor, atenção, etc.

Se deve contratar um cuidador, no momento em que algum familiar passe a ter dependência de alguém para fazer suas atividades, desde as mais simples as mais difíceis. Como tomar banho, se alimentar, ir ao banheiro. Não necessariamente se contrata um cuidador para cuidar de idosos e sim de pessoas que estejam passando por um momento de saúde, ainda que temporário.

Em algumas famílias, os familiares conseguem se organizar por escala para atender a necessidade do ente, em outras, nem sempre conseguem a mesma coisa em virtude de seus trabalhos etc.

Porém, existem alguns cuidados especiais que necessitam de observação direto e o ideal é de fato contratar um cuidador profissional.

O que deve-se exigir de um cuidador profissional?

Segundo o Guia Prático do Cuidador, elaborado pelo Ministério da Saúde, o cuidador é um ser humano de qualidades especiais que zela pelo bem-estar, pela saúde, pela alimentação, pela higiene pessoal, pela educação, pela cultura, pela recreação e pelo lazer da pessoa assistida.

É uma ocupação regulamentada que integra a Classificação Brasileira de Ocupações –CBO sob o código 5162. E, como parte de suas funções, estão:

Atuar como elo entre a pessoa cuidada, a família e a equipe de saúde.

Escutar, estar atento e ser solidário, atencioso, com a pessoa cuidada.

Manter nos cuidados de higiene de modo geral.

Entusiasmar e ajudar na alimentação.

Ajudar no deslocamento, locomoção e atividades físicas, assim como: andar, tomar sol e fazer exercícios físicos.

Estimular atividades de lazer e ocupacionais.

Fazer mudanças de posição na cama e na cadeira, além de massagens de conforto.

Controlar as medicações, conforme a prescrição e orientação da equipe de saúde.

Avisar à equipe de saúde sobre mudanças no estado de saúde.

E mais situações que se fizerem necessárias para a melhoria da qualidade de vida e recuperação da saúde dessa pessoa.

Deve-se levar em consideração ao contratar um cuidador profissional alguns requisitos.

  1. Verificar se o cuidador é capacitado, especializado;
  2. Deve-se exigir que tenha pelo menos o ensino fundamental, ou curso de especialização;
  3. Ter boas referências, e sempre bom pedir o contato de algum familiar, até para saber sobre a conduta da pessoa contratada;
  4. Verificar se atende as exigências físicas, se possui paciência, equilíbrio emocional, compreensão, pois, existem idosos que irritam muito facilmente uma pessoa;
  5. sempre bom saber da rotina do cuidador, afinal, ele vai cuidar de alguém que você muito ama. Perguntar sobre seus trabalhos anteriores para avaliar sua postura, não é nada demais.

Esses são alguns sinais que devem ser observados, podem mostrar que a pessoa cuidada pode estar sendo maltratada.

  1. Hematomas que surjam sem justificativa ou motivo aparente;
  2. Frequentemente quedas;
  3. Cuidador nunca deixa idoso conversar com outra pessoa;
  4. Histórias mal contata de acidentes
  5. Machucados inflamados;
  6. Desnutrição, desidratação;
  7. Inapetência;
  8. Idoso muito tempo calado ou melancólico;
  9. Óculos quebrados;
  10. Falta de higiene pessoal;
  11. Sono excessivo por uso de medicamentos sedativos;
  12. Idoso muito confuso;
  13. Pessoa cuidada se irrita facilmente, principalmente idoso;

A detetive Particular Socorro Amaral, afirma que, agora que seu familiar está com cuidador, não esqueça de que sempre bom acompanha-lo de perto com a pessoa cuidada.

O detetive pode ajudar na segurança da pessoa de idade, onde acompanhamos de perto a vida, rotina e os hábitos da pessoa investigada.