Investigação feita pelo Detetive particular pode preservar sua empresa

Investigação feita pelo Detetive particular pode preservar sua empresa

Administrar uma empresa não é nada fácil, o ambiente corporativo é enfartado de desafios e pressão. Quando existem indícios de funcionários ou até mesmo sócios agindo de forma descabida à empresa, uma investigação empresarial pode ser a chave para salvar o seu negócio.

O detetive particular investigará situações como fraudes, desvio de verbas, sonegações, venda de informações, assim como outras infrações do setor empresarial.

COMO DEVE SER CONDUZIDA A INVESTIGACAO EMPRESARIAL PELO DETETIVE PARTICULAR?

Durante a investigação, o detetive particular fará um levantamento de todos os funcionários e possíveis candidatos a uma vaga de emprego. Dessa forma, ele reúne informações cível e criminal, sobre crédito, experiência de trabalhos anteriores e localização. Investigação empresarial: o trabalho do detetive particular pode defender sua empresa. Problemas corporativos, quando não solucionados, podem trazer consequências gravíssimas. Por isso, a investigação empresarial é essencial para manter a estabilidade da companhia.

QUAIS MEDIDAS ADOTADAS NAS INVESTIGAÇÕES CORPORATIVAS, SÃO PRINCIPAIS?

O detetive particular possui um leque de atitudes que precisa ser praticado para garantir a probidade na investigação, que são:

  • Observação de todos os canais de comunicação da empresa;
  • Fotos comprometedoras de encontros suspeitos entre funcionários e pessoas ligadas à concorrência;
  • Gravações de vídeo e áudio;

Para conduzir a investigação, o detetive é “contratado” e passa a fazer parte do quadro de funcionários da companhia. Com essa medida, ele começa a observar e conviver diariamente com os empregados, analisando o perfil e as atitudes de cada um. O profissional será capaz de detectar qualquer tipo de infração, seja desvio de verbas, roubos, venda de informações, etc. Toda a apuração é feita em total sigilo. Em alguns casos, é possível estender a investigação até aos lares dos funcionários suspeitos, principalmente em candidatos para um cargo de gestor ou sócio da empresa.

COMO CONTAR COM OS SERVIÇOS DE DETETIVES PARTICULARES DE QUALIDADE?

Conte com Detetive Socorro Amaral para investigar por você. Nossa equipe de detetives particulares irá resolver seu caso, trabalhamos com investigação conjugal, empresarial, familiar, entre outros. Portanto, entre em contato e faça já seu orçamento.

Investigação Corporativa Compliance

Investigação Corporativa Compliance

RISCOS E FRAUDES

Atualmente as pequenas, medias e grandes empresas, estão sujeitas a vários riscos relacionados a fraudes, corrupções e condutas antiéticas, que partem exatamente dos colaboradores.

Nesse caso, devem ser realizadas as investigações corporativas, que podem ser feitas com contratação do Detetive Particular, onde será feito investigação rigorosa e minuciosamente estudada principalmente a área afetada, verificando se está sendo adotado a política da empresa.

O processo investigativo

O processo de investigação corporativa, são feitas de diversas formas, e normalmente se dá início após uma denúncia de terceiros ou mesmo de funcionários.

Sempre bom, existir auditoria interna, até mesmo rotineira em toda organização, principalmente quando o assunto for o financeiro o âmbito mais afetado, que podem ser localizados alguma fraude logo depois de pagamentos que já foram efetuados.

Dependendo da organização, existem investigações que devem ser feitas pela Policia Federal.

Independente de qual seja a área de atuação, o conhecimento, ainda tem um valor tremendo em uma empresa. As pessoas devem ter sabedoria, para que sirvam de combustível de ideias que revolucione o mercado, caminhos sejam apontados com novas tecnologias 

Quando a denúncia ou diagnosticado o sinal do problema, é exatamente o momento de se entrar com uma investigação de compliance, que pode ser feita por um bom especializado como detetive particular contratado para tal coisa, acompanhado de uma boa equipe da empresa.

COMPLIANCE significa cumprimento, obediência e, no mundo corporativo, está profundamente ligado à implementação e cumprimento de valores éticos e morais.

Um ponto que merece destaque é que, na corrupção empresarial, alguém que praticou a conduta ilícita não foi punido, mas a punição atinge o empregado beneficiado, quando na verdade, tal conduta acabou que beneficiou uma série de outras pessoas.

Como detetive particular profissional há mais de 22 anos, gostaria de chamar atenção na importância no combate a corrupção. O profissional de investigação, tem obrigação de manter o compromisso com a ética e a moral que devem seu estandarte e cartão de visita.

Em seguida, deve ser preparado o plano de investigação com todos e estratégias a serem feitas para que tudo se concretize, consolide. Nesse plano deve apresentar o motivo do processo, as perguntas, pressuposição, hipóteses, e as perguntas a serem respondidas. Daí, os investigadores farão o relatório.

Em alguns casos, o processo pode parecer simples, mas, ainda assim é de vital importância observar critérios para que obtenha sucesso. Um dos principais é a confiabilidade, que depois de uma triagem, somente os responsáveis pelos canais da denúncia e investigadores devem saber a fonte. Isso não pode em hipótese alguma vazar, caso contrário, o denunciante assim como a empresa podem sofrer grandes riscos.

Como regra geral, a pratica de atos ilícitos é descoberta e investigada a partir de pessoas que resolvem denunciar aquela pratica.

WHISTLEBLOWER, é na verdade aquele que relata, deleta, que denuncia a pratica de algum ato ilícito dentro de uma empresa. Ele é a peça fundamental dentro de um programa de compliance, pois sem esses colaboradores internos, as atividades do programa tendem a ser limitadas e, muitas vezes infrutíferas. Essa é uma grande razão indispensável, imprescindível que os gerenciadores e os profissionais que estiverem atuando nesta área, desenvolvam aparatos, mecanismos internos para que os whistleblower sejam protegidos.   

Mesmo na área pública ou privada, os whistleblower podem sofrer retaliações, grades ameaças por conta de uma conduta que foi nobre. Além do que, a prevenção, investigação interna pode sofrer alguns obstáculos para enfrentar. Como podemos citar o hotline (linha direta, canais de denúncias, serviço de sinalização), deve ser usado para proteger a identidade dessas pessoas.

Entretanto, existem situações que isso não será possível. Invariavelmente, você precisará que o denunciante (whistleblower), formalize sua denúncia prestando seu depoimento.

Como forma de proteção, estimulo ao whistleblower, a corporação, deverá cumprir o constante no Código de Ética da empresa de sigilo total do denunciante lhe dando algumas garantias como:

  • Impossibilidade de demissão involuntária por parte do empregador nos próximos dois anos;
  • Transferência de setor, município, região involuntariamente;
  • Pode e dever ser dado estimulo, tipo recompensa em dinheiro.

Um ponto bem relevante e que deve ser levado em consideração para sua vida profissional: O feedback deve ser dado a quem fez uma denúncia. Essa ação gera uma enorme confiança, segurança em que denunciou. Ajudam ainda mais esses canais que tendem sempre aumentar

Muitas empresas ainda resistem às investigações internas de compliance, por receio ou mesmo acreditarem que seja melhor abafar o problema. Porém, não se demora e tão logo, o que foi abafado, volta apresentar riscos por conta das penalidades sofridas lá atrás.

Um processo investigativo pode não ter um resultado satisfatório como era esperado, se a denúncia ou o questionamento não procederem. Mas, isso não anula, continua sendo valido, uma vez que só havendo a suspeita e só a desconfiança já detecta o problema.

Essas investigações corporativas, não podem de forma alguma mudar a rotina de uma empresa, sempre deve-se agir naturalmente, porque tudo acontece paralelamente ao funcionamento da organização.

É de extrema importância estimular a mudança de pensamento, a mentalidade das pessoas de que se deve levar vantagem em tudo. O famoso “jeitinho brasileiro” nada mais é a antessala da corrupção. Nós, cidadãos somos responsáveis em tomarmos decisões que não estimule e perpetue tal cultura. Eu, detetive Socorro Amaral, acredito que sempre nos disciplinando, somos capazes de motivar pessoas a mudar este cenário e passar a construir uma sociedade mais civilizada.

Um expressivo número de fraude em empresas, são cometidas por colaboradores que lhe é dada devida confiança. São colaboradores que normalmente conhecem bem o processo, a fragilidade de se cometer a fraude. Daí, surge o chamado colaborador oportunista, onde uma oportunidade surge e percebida pelo mesmo que o controle é inexistente, então ele faz.

Se este mesmo colaborador, percebe que seu oportunismo não foi percebido, ele então continua a cometer outras fraudes, o que se chama de oportunista continuado.

Tipos de Fraudes mais frequentes em corporações:

1. Furto: É um ato criminoso, é tirar coisas alheia, (pessoa ou corporação) o que não é seu, de forma sutil, disfarçada para ficar para si, e daí tomar posse como se seu fosse. Em algumas situações, a posse, são de objetos até mesmo de pequeno valor. Normalmente isso acontece de forma escondida para que não seja notado.

O furto está previsto no Código Penal Brasileiro em seu art. 155 – Subtrair, para si ou para outrem, coisa alheia móvel: Pena – reclusão, de um a quatro anos, e multa.

2. Roubo: Conforme termo jurídico, Roubo, é um crime que consiste em subtrair coisa móvel pertencente a outrem por meio de violência ou de grave ameaça.

No Roubo, um funcionário poderá chantagear um diretor, ou outro funcionário qualquer se souber de alguma irregularidade, e tirar proveito sobre chantagem.

3. Apropriação indébita: É quando o agente já está de posse da coisa alheia móvel, sem o consentimento do dono, e age como se fosse seu. Crime previsto no 168 do Código Penal Brasileiro – Apropriar-se de coisa alheia móvel, de que tem posse ou a detenção. Pena – Reclusão, de um a quatro anos e multa. 

4. Sabotagem: Pode acontecer como forma de prejuízo a empresa, a pessoa planeja com intuito de prejudicar sem tirar nada para si. Crime Doloso – crime intencional. A definição do crime doloso previsto no 18, inciso I do Código Penal – Considera como dolosa a conduta criminosa na qual o agente quis ou assumiu o resultado.

5. Desvio de Valores: Muitas empresas sofrem sendo vítimas com esse tipo de fraude feita por funcionários, onde desviam mercadorias, ou mesmo valores pertencentes a empresa. Quando essa conduta chega a ser provada, são configuradas como delitos de furto, apropriação indébita ou estelionato. Art. 155, 168 e 171 do Código Penal. 171 obter, para si ou para outrem, vantagem ilícita, em prejuízo alheio, induzindo ou mantendo alguém em erro, mediante artifício, ardil, ou qualquer outro meio fraudulento: Pena – reclusão, de um a cinco anos, e multa, de quinhentos mil réis a dez contos de réis. 

6. Sonegação: Precisamente, esconder ou omitir algo de alguém. Se tratando de corporação, a sonegação pode ser referente a impostos, onde ela oculta verdadeiro rendimento ou mesmo atividade econômica da Receita.

7. Desperdício voluntario: Em uma empresa não se deve desperdiçar nada e todo funcionário deve ter essa consciência. Como desperdício de agua, energia, telefone, matéria prima, sempre com a visão pequena e o “jeitinho brasileiro”, de que: a empresa paga

Entretanto, sabemos que, por conta das fraudes nas empresas, alguém sai no prejuízo, e as vítimas normalmente são: A EMPRESA, ACIONISTAS, SOCIOS, FORNECEDORES, CLEINTES, ADMINISTRACAO, EMPREGADOS, ETC.

Alguns tipos de investigação corporativas que merecem atenção redobradas, além de algumas citadas acima.

  • Espionagem: Existem empresas que pagam funcionários das empresas concorrentes para passarem informações, roubar ideias. Usam clientes ou fornecedores para irem ao concorrente colher informações com única intenção de prejudicar o concorrente.
  • Contraespionagem: Também chamada de contra inteligência, onde as empresas devem se proteger, proteger seus projetos, evitando espiões da concorrência, evitando vazamento de informações.

Ai, é um outro momento onde é de suma importância a contratação de um detetive particular, ele passa analisar os funcionários contratados, os demitidos, que merecem atenção especial, pois podem se aproveitar de informações obtidas para serviço de contraespionagem, onde podem receber propostas de empregos, propinas para repassar ideias, projetos da empresa anterior, ou mesmo virar seu concorrente. 

SA Investigações, levando sempre ao cliente:

“A resposta que precisa e o respeito que merece” – Detetive Socorro Amaral

“Por isso dediquei-me a aprender, a investigar, a buscar a sabedoria e a razão de ser das coisas, para compreender a insensatez da impiedade e a loucura da insensatez” – Eclesiastes 7:25

Detetives trabalham com prazos durante investigações

Detetives trabalham com prazos durante investigações

O Detetive particular em uma investigação pode ou não ter um prazo para conclusão dos trabalhos. Tudo depende do acordo entre contratante e contratado. Os casos mais simples, podem durar em média uma semana, como existem casos complexos que podem durar até meses ou mais. As investigações conjugais, podem ser concluídos entre uma semana e 15 dias em média (não é uma regra), mas os mais complexos, que envolvem crimes, passam por um período mais longo de apuração. Portanto, não existe especificamente um prazo para a duração da investigação, o que permite que cada cliente defina com o profissional contratado o tempo necessário para realizar seu trabalho. Com a experiência obtida pela detetive Socorro Amaral, ajudará na definição deste prazo.

Entretanto, é muito importante que no primeiro contato, o (a) cliente já esteja munido de informações sobre o (a) investigado (a), isso ajuda muito o profissional na escolha da sua estratégia de serviço. Se o caso for mais extremo e necessitar de apoio policial, o papel do detetive é auxiliar o delegado de polícia. Com a anuência do cliente e do delegado responsável pelo inquérito policial, o profissional pode ajudar na coleta de provas dentro das normas legais, respeitando o papel da autoridade constituída pela lei. Depois da entrega do relatório, com as evidências coletadas e o resultado final da investigação, o processo se encerra automaticamente, em que os arquivos são destruídos e o cliente faz a finalização do contrato. Caso seja dita alguma consideração fora destas que falamos, desconfie. Por isso, procure por um detetive com anos de experiência no mercado e qualidade comprovada.

Quanto a investigação criminal, que bastante duradoura, o detetive não está autorizado para atuar em investigação criminal sem devida autorização do contratante e delegado responsável. (ver Lei 13.432/17).

A Lei 13.432/2017 regulamenta a atividade do detetive particular na investigação criminal. Estabelece limites a essa atuação que configura atividade típica de Estado. Para atuar o detetive deve contar com a autorização expressa de seu contratante e com o aceite do Delegado de Polícia ou outra autoridade que presida investigações, a exemplo do Promotor de Justiça nos casos de Procedimento Investigatório Criminal (PIC). Também sua atuação não conta com todas as prerrogativas das Polícias Judiciárias (Civil e Federal) ou do Ministério Público, de forma que nem mesmo lhe é dado participar diretamente de diligências policiais (vide artigos 5º e parágrafo único; e 10, inciso IV, ambos da Lei 13.432/2017).

“Art. 9º Ao final do prazo pactuado para a execução dos serviços profissionais, o detetive particular entregará ao contratante ou a seu representante legal, mediante recibo, relatório circunstanciado sobre os dados e informações coletados, que conterá: I – os procedimentos técnicos adotados; II – a conclusão em face do resultado dos trabalhos executados e, se for o caso, a indicação das providências legais a adotar; III – data, identificação completa do detetive particular e sua assinatura. ”